20 de ago de 2011

Construção de terra:Parte 2.8 - Cidades e monumentos de Adobe: Goiás/Brasil

Depois de conhecermos construções e monumentos fabulosos de adobe lá no Iêmen, depois lá no Peru e lá na cidade de  Taos Pueblo nos States e para o Mali voamos direto para o planalto central do Brasil, na Cidade de Nova Goiás, para ver a casa de Aninha, mais conhecida como Cora Coralina, a nossa grande, amada e saudosa poetisa.
Aproveito aqui para fazer  também a minha homenagem pessoal, à essa mulher incrível que permanece viva através de sua linda história de vida e que completaria hoje, dia 20 de Agosto de 2011, 122 anos de idade.
Parabéns querida Aninha/Cora Coralina pelo seu aniversário!!!

Janelas da casa que viveu Cora Coralina, em estilo colonial, construída com adobe
A casa, construída por volta de 1782, tem alicerces de pedras, estrutura de madeira e alvenarias de adobe e taipa de mão e pisos revestidos de  tabuado de madeira corrida, lajotas de pedras ou tijolos de barro queimado.













Quarto de Cora Coralina mantido exatamente como quando ela aí vivia.
Cora, que nasceu Ana Lins dos Guimarães Peixoto em 20 de Agosto de 1889, viveu até 10 de Abril de 1985 e teve seu primeiro livro publicado em 1965, quando ela já tinha 75 anos!!!


Além de contista era também uma tremenda quituteira.

Após o falecimento da escritora, a casa foi adquirida pela prefeitura e transformada em museu permanente, mantendo-se a exata ambientação de quando Cora Coralina ainda era viva


Cora, a quituteira de mão cheia em plena atividade no fogão de lenha de sua cozinha!

Para fazer o doce de abóbora original de Cora, é só seguir essa receita aqui.


Encerrando a nossa viagem pelo mundo, conhecendo construções formidáveis de adobe e em  homenagem coloco aqui um dos poemas mais conhecidos de Cora:


Meu epitáfio

Morta... serei árvore,
serei tronco, serei fronde
e minhas raízes
enlaçadas às pedras de meu berço
são as cordas que brotam de uma lira.

Enfeitei de folhas verdes
a pedra de meu túmulo
num simbolismo
de vida vegetal.

Não morre aquele
que deixou na terra
a melodia de seu cântico
na música de seus versos.

Pra quem quiser visitar o museu que preserva a história da nossa diva das letras, a Casa de Cora Coralina fica na Rua D. Cândido, 20 em Goiás Velho-GO e pode ser visitada de terça a sábado, das 9h às 16h45, e domingo, das 9h às 15h45.

Depois da última enchente em 2001, a cidade foi tombada como Patrimônio Histórico da Humanidade e vale muito a pena um prolongada visita à Cidade!!!


 

Um comentário:

Rita Juliano disse...

Que beleza de matéria. Tudo, no final, se encontra. Olhando, entendendo o que explicas de adobe, e no final deste domindo a lindeza de homenagem à Cora Coralina. Gostei tanto.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...